Amo o cinema brasileiro, mas tem uns filmes que são difíceis de engolir!

Por Heron Moura. Em 2019, o filme Bacurau fez muito sucesso como uma obra politicamente engajada. Não sei se fui o único a nadar contra a corrente, mas achei o roteiro completamente descabeçado, baseado em mitologias de exclusão, violência e armamentismo. Esses valores não eram apenas cultivados pelos vilões, mas também formavam o caldo de... Continuar Lendo →

A pax hollywoodiana

Por Fábio Lopes da Silva. Minha vida afetiva é uma tragédia. Acumulo um amplo currículo – ainda não concluído, sublinhe-se –  de separações, desilusões amorosas e relações que, em suas primícias, parecem anunciar longos e prósperos casamentos mas sempre terminam abruptamente, ainda antes das bodas de papel. Em meio a tantos ziguezagues, falsos atalhos, tropeços... Continuar Lendo →

Sobre a liberdade sexual das novinhas

Por Luiz Henrique Queriquelli. O bra-burning, ou a famosa queima de sutiãs ocorrida em Atlantic City em 7 de setembro de 1968, é sempre tomado como um marco simbólico da libertação sexual das mulheres, mas tenho a sensação de que o “7 de setembro” das brasileiras tenha ocorrido meio século depois, por mérito de uma... Continuar Lendo →

Musculação rodrigueana

Por Fábio Lopes da Silva. “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça”: esses versos famosos, como todo mundo sabe, abrem uma ode à beleza acachapante e perturbadora de certa jovem carioca em “seu doce balanço, a caminho do mar”. A letra é a expressão do deslumbramento do poeta diante de um espetáculo por... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑